Ex-prefeito de Tomé-Açu, PA, preso no Distrito Federal chega a Belém

0
48

Carlos Vinicius Vieira estava foragido há 8 meses.
Ele e o pai são apontados como mandantes de um duplo assassinato.

O ex-prefeito de Tomé-Açu, Carlos Vinicius Vieira, preso na última segunda-feira (11) noDistrito Federal, foi transferido para Belém na madrugada desta terça-feira (12). Ele desembarcou na capital paraense por volta das 4h30, escoltado pela Polícia Civil. Do aeroporto ele seguiu para o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, para fazer exame de corpo de delito.

De acordo com o delegado que acompanhou a prisão de Carlos Vinicius em Brasília, o ex-prefeito de Tomé-Açu deve ficar preso na penitenciária de Marituba, na região metropolitana de Belém. “O preso não foi ouvido ainda pela polícia judiciária, fato que vai ocorrer agora”, afirmou o delegado João Bosco Rodrigues.

Segundo a polícia, ele estava em Goiânia, mas sempre viajava para a capital do país. “Após ele estacionar o carro em um estacionamento público, nossa equipe de policiais civis aqui do Pará  fez a abordagem e deu voz de prisão”, conta o delegado Rilmar Firmino.

Com o mandado de prisão decretado, Carlos Vinicius Vieira, estava foragido há 8 meses. Ele e o pai, Antônio Carlos, são suspeitos de serem os mandantes do assassinato do empresário Luciano Capacio e do advogado dele, Jorge Pimentel. O crime ocorreu em março deste ano no município de Tomé-Açu, nordeste do Pará.

“Eles têm um grande poder econômico. Então, em qualquer local que eles chegassem, não só no Brasil, mas também fora do Brasil, eles tinham suporte considerado para se manter. Tão logo essas prisões foram decretadas, eles empreenderam fuga do distrito da culpa, e desde então era assim a situação processual deles. E nós prosseguimos com as investigações, que culminaram com a prisão dele em Brasília”, ressalta o delegado João Bosco.

Carlos Vinicius Vieira foi destituído do cargo de prefeito de Tomé-Açu pela câmara municipal depois que as investigações da polícia o apontaram como suspeito do crime. Duas pessoas ainda estão foragidas.

OAB
Em coletiva à imprensa, a Ordem dos Advogados no Pará afirmou que a prisão do ex-prefeito de Tomé-Açu representa um avanço, mas não a conclusão do caso. “Esperamos que vá até o final, que prenda o pai, que prenda o empresário que intermediou e o pistoleiro que comandou essa execução. Enquanto isso não for feito, a OAB não se calará e continuará tomando todas as medidas que tem que tomar, sejam duras, doa a quem doer!”, afirmou o presidente da OAB Pará, Jarbas Vasconcelos.

Segundo a OAB Pará, até agora foram 12 casos de violência contra advogados do Estado. Sete registros de ameaça e cinco mortes.

O Governo do Estado do Pará lamentou as declarações da OAB e informou que garante aos cidadãos a manutenção da segurança e da ordem pública.

Do G1 PA

Deixe uma Comentário: