ABANDONADA, ESCOLA ESTÁ SENDO DESTRUÍDA POR EROSÃO EM BOA VISTA

91

Localizada em Boa Vista, na cidade de Quatipuru, nordeste do Estado, a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio João Paulo I foi abandonada pelo Governo do Estado.

O DIÁRIO recebeu várias imagens enviadas por uma professora da escola, que pediu para não ser identificada, mostrando os efeitos que a erosão tem causado à estrutura do prédio, que fica às margens de um rio. O caso já foi levado até o conhecimento do Governo do Estado desde o ano passado, mas nada foi feito, e agora o processo de erosão tem ocorrido com maior intensidade devido o período chuvoso. A escola está fechada e os alunos foram obrigados a estudar nas escolas municipais.

O caso é antigo e chegou até o conhecimento do Ministério Público do Estado (MPE) que, em setembro do ano passado, fez uma vistoria técnica na escola e constatou as condições precárias em que ela se encontrava, a ponto de colocar em risco as vidas dos alunos e funcionários. Já existe em construção uma nova escola, através do Estado, porém as obras estão paralisadas desde 2009, segundo informou o MPE na época. A escola tem aproximadamente 600 alunos matriculados. Após a visita, o MPE moveu uma Ação Civil Pública (ACP) para obrigar o Estado a dar melhores condições de aprendizado aos estudantes e que providenciasse a construção de um novo prédio.

Os alunos ficaram sem aula desde outubro e somente em janeiro deste ano é que foram remanejados para escolas municipais. A Secretaria de Educação do Estado (Seduc) chegou a enviar técnicos para a localidade, a fim de avaliar os estragos causados pela erosão e propor soluções para tentar salvar a escola. Mas até agora, segundo a professora, nada foi feito. Hoje, até a quadra de esportes está desabando.

Foto: via Whatsapp

“A erosão já derrubou o muro e está embaixo da cozinha da escola. Vieram o ano passado, fizeram promessas e nada foi feito. A própria Secretaria de Educação falou que estava tudo liberado e não sabia porque as obras não haviam começado. Em abril, caiu uma parte do muro de arrimo da escola, a Seduc veio e interditou. As turmas da noite funcionaram nas escolas do município até junho. Em agosto como nada foi feito e a escola não caiu, e voltamos a ocupar a mesma nos 3 turnos. No final de setembro teve uma maré tão alta que derrubou parte do muro. Novamente as aulas foram suspensas e os pais entraram com ação no MP no fórum de Primavera. Aí a Seduc enviou uma nova equipe para dizer como seria a adequação e aluguel de um espaço. Nada foi feito”, revelou a professora.

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) esclarece ​que será garantido o ano letivo dos estudantes da instituição. A Secretaria deixa claro seu posicionamento de zelar pela integridade e segurança dos alunos em espaço escolar adequado e por isso, a princípio, os alunos continuarão lotados em prédios das escolas municipais.

A Seduc informa que monitora as ações buscadas pela Prefeitura do Município para a conter a erosão.

A secretaria informa ainda que só poderá iniciar qualquer reparo físico na escola depois de contida a erosão.​ No final do ano passado, os engenheiros da Seduc vistoriaram o local e detectaram que o fenômeno não atingiu a estrutura da escola.

(Diário do Pará)

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma Comentário: